Translate

terça-feira, 28 de julho de 2015

MINHA CRÔNICA:

A sorte mora num fim de mundo

Quantos de nós fazemos lá a nossa “fezinha”, nas mais diversas loterias, torcendo para que a sorte venha bater à nossa porta. E não é que, entra semana, sai semana, e nada dela encontrar o nosso endereço, não é verdade? Quem de nós nunca teve a curiosidade de saber onde ela reside? Aí pensei comigo mesmo: bem, já que ela não vem até mim, que tal eu sair a procura dela? Mas, de fato, onde será que mora a tal da sorte?

A dúvida persistiu por muito tempo, até que, por semanas e mais semanas acompanhando o resultado das loterias da Caixa Econômica Federal, eu pude encontrar pelo menos uma pista sobre ela. Toda vez que sai o prêmio de alguma loteria acumulada, especialmente a Mega-Sena, para um único apostador, é comum ouvir de qualquer cidadão: “Puxa vida; saiu para alguém que mora lá num fim de mundo!”

Então concluí: a sorte mora num fim de mundo. Se bem que o conceito de “fim de mundo” é muito relativo. Para quem mora no estado de São Paulo, como é o meu caso, qualquer pequena cidade dos estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, por exemplo, são o que popularmente se convencionou chamar de cafundó. Já para quem vive nessas regiões, nós do Sul ou Sudeste é que fazemos parte do fim de mundo.

Não me refiro às capitais ou cidades consideradas de grande porte. Quero dizer vilarejos que muitas vezes “nem constam do mapa”. São cidadezinhas sem qualquer infra-estrutura que, como costumam dizer, estão por conta do destino, dependendo da piedade divina, ou, ainda, entregues à própria sorte. E não é que a sorte tem cuidado bem delas! Basta acumular uma considerável soma em dinheiro em qualquer das loterias existentes, que a “bolada” invariavelmente acaba saindo para um único apostador de um lugarejo qualquer.

Isso mesmo: a sorte costuma subverter qualquer probabilidade matemática, indo cair nas mãos de um cidadão que muitas vezes fez um, ou, no máximo, dois joguinhos. Com tanta gente vivendo nos estados mais populosos do país e, conseqüentemente, tendo o maior número de apostas, era de se supor que, matematicamente, seriam premiados mais apostadores das regiões Sul e Sudeste. Contudo, poucas vezes um sujeito dessas regiões leva a “bolada”. Não que apostadores desses estados não ganhem na loteria, mas, quando acumula, curiosamente costuma sair para uma só pessoa e de um lugar que nunca, ou pouco se ouviu falar. 

Às vezes chego até a pensar que a tal da sorte tem exercido um papel quase que social. Em razão da incompetência das autoridades, parece ter incorporado Nêmesis e sua justiça distributiva, chamando para si a responsabilidade de resolver o problema de concentração de renda. Dessa forma, tem voltado a sua atenção para os menos favorecidos, independente de qualquer prognóstico.    

É bom ressaltar que em 2010, no concurso 1.155 da Mega-Sena, um único cartão teria sido premiado com pouco mais de R$ 52 milhões, em Novo Hamburgo, considerada uma cidade de grande porte do Rio Grande do Sul. Porém, o dono da lotérica “Esquina da Sorte” alega que uma funcionária se esqueceu de fazer o jogo. Para cerca de 40 apostadores, a sorte deu as caras, mas acenou e virou a esquina, deixando todos, inclusive, pobres de esperança.

A despeito disso tudo, muitos chegam a colocar em dúvida os sorteios realizados pela CEF. Entretanto, eu não sou o tipo de sujeito que engrossa essa lista. Afinal, são realizados com presença de grande público e suponho que sejam fiscalizados e devidamente auditados. Tenho aqui comigo que os sorteios dos concursos são 99% confiáveis. O tal do um por cento restante fica por conta de alguns desvios verificados ao longo dos anos. Para quem não se lembra, ou desconhece, vale recordar, por exemplo, o caso do já falecido ex-deputado federal João Alves, que ganhou na loteria cerca de 200 vezes. Vá ter sorte assim lá no cafundó! Pois é, geralmente é lá mesmo.

Ao ler tudo isso, alguém poderia perguntar se, por acaso, eu nunca vou a uma Casa Lotérica fazer uma “fezinha” de vez em quando. Mas claro que faço! Uma vez ou outra eu arrisco, sim! Aí, então, toda vez que eu fico na fila, aguardando a minha vez de fazer o jogo e sonhar com uma “bolada”, eu me encho de esperança e ilusão pensando: quem sabe a sorte se canse um pouco daquela vida pacata de cidadezinha e resolva vir para um centro mais populoso...

Poderia ser aqui em Piracicaba, por exemplo. Sendo assim, vá que de repente eu e a sorte grande nos encontremos um dia, heim?!

------------------------------------
AUTOR: Paulo Cesar Paschoalini
------------------------------------
COMENTÁRIO:
O texto acima recebeu a 3ª Menção Honrosa no "XXXVIII Concurso Literário Felippe D'Oliveira - Edição 2015", da cidade Santa Maria-RS, sendo um dos 7 selecionados na modalidade "Crônica", categoria Nacional, dentre 176 crônicas apresentadas, nesse certame que teve a participação de candidatos de 15 estados do Brasil, além de Japão, Itália e Inglaterra.
Esse texto foi publicado neste blog em 24.05.2010, mas foram feitas pequenas correções e revisões no original, para envio ao concurso mencionado. Ao todo, foram cerca de "meia dúzia de palavras", no entanto, sem alteração substancial na extensão ou no conteúdo. Mesmo depois das revisões, pode ser que ainda haja alguma correção a ser feita.
______________________________________

sábado, 25 de julho de 2015

LITERATURA:

Concurso Literário: Santa Maria-RS

A Biblioteca Pública Municipal "Henrique Bastide", da cidade de Santa Maria-RS, divulgou o resultado do XXXVIII Concurso Literário Felippe D'Oliveira, Edição 2015. Para minha surpresa, tive textos selecionados nas categorias "Contos" e "Crônicas". A julgar pela tradição do Concurso e pelo número de concorrentes, sinto-me feliz por ter alcançado essa duas classificações:

CONTOS:
CATEGORIA NACIONAL:
1ºLugar: Segredos Coletivos – MARIANA SALOMÃO CARRARA- São Paulo /SP
2ºLugar: Orquestra de Enxadas – EDER RODRIGUES - Belo Horizonte /MG
3ºLugar: 21 gramas - ANGELO PESSOA MARTINS - Nova Friburgo /RJ

MENÇÕES HONROSAS:  
1ª Menção: Corredor Seis - ANDERSON FARIAS BORBA- Camaquã /RS
2ª MençãoEscultores de Sombras - PAULO CESAR PASCHOALINI- Piracicaba /SP
3ª Menção: Matilda e o Vento – PAULO SÉRGIO DOS  SANTOS SENA - Vitória /ES

CATEGORIA INCENTIVO LOCAL:
Velho Taura – ATHOS RONALDO MIRALHA DA CUNHA - Santa Maria /RS

CRÔNICAS:
CATEGORIA NACIONAL:
1ºLugar: Machado de Assis está? - ANDRÉ  TELUCAZU KONDO - Jundiaí /SP
2ºLugar: Passo o Ponto - MARCUS VINICIUS TEIXEIRA QUIROGA PEREIRA - Rio  de Janeiro /RJ 
3ºLugarA Gonia Moderna - EDILEUZA BEZERRA DE LIMA LONGO – São Paulo /SP 
                                   
MENÇÕES HONROSAS:
1ª Menção: Sexta-feira da Remissão - MARIA DAS DORES  OLIVEIRA - Ipatinga /MG
2ª MençãoO Epitácio - SÉRGIO DA SILVA AGRA - Capão da Canoa /RS
3ª Menção: A Sorte mora no fim do Mundo - PAULO CESAR PASCHOALINI - Piracicaba /SP

CATEGORIA INCENTIVO LOCAL:
Triste fim da Integridade - LUIZA MOURA TAVARES DA SILVA – Santa Maria /RS

POESIAS:
CATEGORIA NACIONAL:
1ºLugar: Se eu fosse um poema  JACQUELINE LOPES SALGADO SOARES – Bauru /SP
2ºLugar: De Horizontes e Navios  HENRIETTE EFFENBERGER – Bragança Paulista /SP
3ºLugar: Um Quarto em Quatro Luas  NATAN JOSÉ MUNIZ BARRETO - Londres

MENÇÕES HONROSAS:
1ª Menção: Gotejo - LAURO MARTINS NETO - Bauru /SP
2ª MençãoVôo - RICARDO MAINIERI - Porto Alegre /RS
3ª MençãoSuper Herói em Quadrinhos – JULIO CORREA - Campo Grande /RJ

CATEGORIA INCENTIVO LOCAL:
Sobre Ele - ANGELA NASCIMENTO DA SILVA – Santa Maria /RS

----------------------------------------------------------------------
FONTE: Biblioteca Pública Municipal "Henrique Bastide"
LINK: http://bibhenriquebastide.blogspot.com.br 
----------------------------------------------------------------------
COMENTÁRIOS:
O Concurso em questão teve um total de 708 textos inscritos, sendo 257 contos, 176 crônicas e 275 poesias. Foram candidatos de 15 estados do Brasil, além de trabalhos enviados por 3 países: Japão, Itália e Inglaterra.
______________________________________

sexta-feira, 17 de julho de 2015

LITERATURA:

"Liberdade moderada"

MICROCONTO CLASSIFICADO EM 3º LUGAR - “Reunião pré-dilúvio”:
– Só entrará na arca de Noé quem tiver a boca pequena – afirmou o rei leão.
– Coitadinho do sapo – disse o jacaré.
(Amadeu Bispo de Oliveira/Diadema-SP)

Tudo bem que isso é um Concurso de Humor... Talvez isso justifique o fato de que a escolha do terceiro colocado tenha sido "uma piada". Puro plágio, conforme já mencionado. Basta acessar o link abaixo:

MÚSICA: "Coitadinho do jacaré"
https://www.youtube.com/watch?v=XUS__-7ysbs

Mas vamos ver o "lado positivo" da escolha desse primoroso terceiro colocado. Isso certamente servirá de estímulo para que as pessoas passem a "pesquisar" mais o que os outros fizeram e possam inscrever nos próximos concursos textos "como se fossem seus". Isso, sem dúvida, vai aumentar a "quantidade", não é mesmo?

Meus sinceros parabéns aos dois primeiros colocados pela inteligência e criatividade. Já aos outros concorrentes, que, consequentemente, ficaram à margem da "genialidade e originalidade" do terceiro colocado...
... Coitadinho de você, "jacaré"!

OBS.: Só pra avisar os desavisados: essa frase do jacaré não é de minha autoria.

------------------------------------------------
TEXTO ACIMA: Paulo Cesar Paschoalini
------------------------------------------------
COMENTÁRIO - 1:
Tentativa de postagem do conteúdo acima no site "biblioteca.piracicaba.sp.gov.br", entre as 13:30 e 13:50 horas, do dia 16.07.2015. O texto não foi publicado e eu recebi a seguinte mensagem; "O seu comentário está aguardando moderação" - 16 de julho de 2015 em 16:19 (UTC 0)
Aguardei cerca de 30 minutos e por haver a possibilidade de que minha opinião não fosse publicada, tornei a postar um novo texto, conforme segue:

Boa tarde.

Achei emblemática a mensagem que recebi: "O seu comentário está aguardando moderação".
Parabéns também pela criatividade em criarem a "LIBERDADE MODERADA".

De qualquer forma, o meu comentário vai ser publicado no meu blog amanhã, com as observações pertinentes, para que as pessoas fiquem devidamente informadas de "como as coisas realmente funcionam".

O clima de "piada" está ganhando cada vez uma proporção maior. L A M E T Á V E L !!!

------------------------------------------------
TEXTO ACIMA: Paulo Cesar Paschoalini
------------------------------------------------
COMENTÁRIO - 2:
Essa segunda postagem também recebeu como resposta a "O seu comentário está aguardando moderação" - 16 de julho de 2015 em 17:06 (UTC 0).
OBSERVAÇÃO: Reproduzi o texto conforme foi enviado por mim em 16.07 e publicado somente na data e hoje, dia 17/07. O correto da última palavra, grafada em maiúsculo e com espaços, seria "L A M E N T Á V E L". O erro de digitação é de minha autoria.

Muito embora a minha postagem tenha sido publicada no dia de hoje, o que chama a atenção é que podemos estar vivendo um momento de maior contradição daquele que é, pelo menos assim considerado, um evento de estímulo à “liberdade de expressão”. É desse modo que as pessoas envolvidas com eventos dessa natureza gostam de alardear, como é o caso do Salão de Humor de Piracicaba. Portanto, ao acessar o link abaixo, onde constam os premiados, com seus respectivos Microcontos, a opinião do internauta fica submetida ao que poderíamos chamar de “processo de moderação”. Assim, o site da Biblioteca de Piracicaba, que guarda estreita relação com esse e outros eventos de “criatividade”, pode estar acabando de cunhar o termo (se é que ele ainda não existe) “LIBERDADE MODERADA”. Coitadinho, mesmo!... E não só do jacaré!...   
LINK: http://biblioteca.piracicaba.sp.gov.br/site/?p=5882
______________________________________

quinta-feira, 9 de julho de 2015

LITERATURA:

Microcontos de Humor - 2015

A SEMAC, Secretaria Municipal de Ação Cultural, da cidade de Piracicaba-SP, divulgou os três vencedores do "5º Concurso Microcontos de Humor", que faz parte da programação do "42º Salão Internacional de Humor de Piracicaba”.

1º LUGAR – R$ 800,00:
“Singular”
Em um dia lúgubre, sujeito, verbo e predicado participam de uma triste oração na Igreja. Motivo? Morreu os plural. Todos chora.
(Gabriela Peres Gomes/Sorocaba-SP)

2º LUGAR – R$ 500,00:
“Mulher de palavra”
Ela jurou na frente do Padre Miguel me amar "até que a morte nos separe", e me largou assim que o Padre morreu.
(Horácio Daniel Sequeira/Ilhéus-BA)

3º LUGAR – R$ 300,00:
“Reunião pré-dilúvio”
– Só entrará na arca de Noé quem tiver a boca pequena – afirmou o rei leão.
– Coitadinho do sapo – disse o jacaré.
(Amadeu Bispo de Oliveira/Diadema-SP)

--------------------------------------------------------
FONTE: http://biblioteca.piracicaba.sp.gov.br/site/?p=5882
--------------------------------------------------------
COMENTÁRIO:
Parabéns ao vencedores, que receberão as respectivas premiações na solenidade de abertura do "Salão de Humor", a ser realizada no dia 22 de agosto próximo, no Engenho Central, na cidade de Piracicaba-SP.
______________________________________

sexta-feira, 3 de julho de 2015

MÚSICA:

Pontos a se considerar...

Esperei alguns dias para deixar a poeira baixar um pouco.

Se procurarmos em alguns dicionários, poderemos encontrar a palavra “ganhador” como sinônimo de “vitorioso”. 

Dependendo do contexto, realmente elas se confundem, mas penso que existem interpretações diferentes, em alguns casos, e isso se aplica a vocês.

Com a saída do Super Star, conseqüentemente vocês deixaram de ter a oportunidade de ganhar a competição, certo? Mas vocês têm dúvida de que são vitoriosos?

Afinal, venceram o anonimato, as eventuais inseguranças e venceram as dúvidas que alguém pudesse ter com relação a vocês.

A partir do último domingo, tiveram, e ainda terão, muitos comentários sobre a saída de vocês do Super Star. Surgirão aqueles que dizem “saber o porque” da saída de vocês e também aqueles que apresentarão os motivos para falar mal de quem lá permaneceu. Questão de opinião!

No critério de qualidade, vocês foram aprovados “com louvor” e acabaram por esbarrar na questão de “gosto pessoal”, que é muito subjetivo e, apesar de ser algo que deve ser respeitado, pode e deve ser questionado sim, de acordo com o ponto de vista de cada um.

Eu, particularmente, acho que não somente as últimas 9, mas as que figuraram no rol das 12 melhores Bandas são dignas de muito respeito. Afinal, convencer seja lá quem for, se o público, ou a mídia, ou, ainda, o polêmico segmento comercial, da viabilidade de um trabalho artístico é algo muito especial, não é mesmo?

Portanto, nos pontos a se considerar, eu diria que agora, em qualquer lugar do Brasil (e olha que ele é grande) o nome “Banda Dona Zaíra” não mais virá acompanhado de uma interrogação, mas de merecidas EXCLAMAÇÕES, fruto da competência e do talento de todos vocês. E as oportunidades que virão, penso que serão melhor aproveitadas se tiverem a reboque equilíbrio e sabedoria, além da qualidade que inegavelmente mostraram que possuem de sobra. Ah!... E nunca se esqueçam da alegria!

Ainda no quesito “pontuação”, o que terão pela frente, agora, são as reticências da vida...

------------------------------------
TEXTO: Paulo Cesar Paschoalini
------------------------------------
COMENTÁRIO:
Quando a Banda começou, com outra formação e outro nome, além de diferente estilo musical, precisaram de alguém para tirar umas fotos do grupo e, na falta de coisa melhor, coube a mim a honra de fazer os primeiros cliques daqueles que hoje são conhecidos e reconhecidos por todo o Brasil. Portanto, conforme postado no Facebook, se não sou considerado o fã número 1, pelo menos fui (com muito orgulho) o fotógrafo(?) número 1 da Banda.
______________________________________